fbpx

Descobrir quais são os vários tipos de liderança para gestão hospitalar é a alternativa mais indicada. Afinal, por meio disso é simples de gerir da maneira correta e deixar as partes atingirem os resultados almejados.

A liderança não deve ser vista como algo constante, porque é transitório e passa com o tempo. Bem como, o líder de hoje pode ser amanhã estar em um papel de liderança e não há problemas nisso.

O objetivo do texto é mostrar quais são os três tipos de liderança para gestão hospitalar mais utilizados. Dessa forma, confira a seguir todas as informações para descobrir como usufruir as vantagens de cada um deles.

Quais são os três tipos de liderança para gestão hospitalar mais utilizados atualmente?

O mais importante, antes de mais nada, é entender os tipos de liderança para gestão hospitalar mais comuns atualmente. Sendo assim, confira a seguir dois pontos essenciais que são abordados ao longo desse texto:

  • Isenção– Cada estilo de liderança não deve ser visto de maneira superior ou inferior, pois o foco do conteúdo é informar.
  • Não tem uma opção melhor do que a outra– Cada líder pode optar pela melhor alternativa e não há problemas em pensar nisso.

A ideia central do texto é mostrar os três tipos de líderes que podem gerir corretamente as instituições hospitalares. É primordial ter acesso a todas as informações e a seguir confira as informações sobre cada um desses estilos.

Liderança autocrática: O “gestor” é o centro do universo

Em primeiro lugar, a liderança autocrática é caracterizada por ter esse gestor como, literalmente”, o “centro do universo” hospitalar. Por se tratar de alguém que tem tendência autoritárias, é importante ter atenção nisso.

Dentre os tipos de liderança para gestão hospitalar, vale lembrar que este é o mais centralizador. Ou seja, a decisão é de responsabilidade dele e não há espaço para os demais darem ideias, opiniões e reclamações.

O líder autocrático fixa algumas regras e define os processos que devem ser seguidos, acima de qualquer outra atitude. A equipe não é consultada e o poder de cisão depende dele, sem que exista participação dos demais.

Duas características são inerentes ao líder autoritário: egoísmo e dominação. Entretanto, é mais simples de entender do que se trata por meio de um exemplo e a seguir confira uma exemplificação sobre esse líder:

  • O time de trabalho executa as tarefas, pertinentes ao cuidado com idosos, e é reconhecido amplamente no mercado;
  • Por outro lado, não há reconhecimento do líder e nem por outras pessoas, porque a liderança chama a atenção para esses feitos.

A liderança autocrática não usa o poder de convencimento do líder pelo exemplo, pois o foco é ser um chefe. E, no pior sentido da palavra, já que o objetivo é apenas mandar e fazer com que os outros obedeçam.

Vale lembrar um fato: entre os três tipos de liderança para gestão hospitalar, é o que se baseia pelo poder. O cargo é impõe ordens e gera insegurança, medo e os funcionários não o respeitam, apenas temem.

Liderança democrática: O negócio é o “centro do universo”

A liderança democrática é bem diferente da citada acima, porque é o que gestor envolve os colaboradores de vários níveis. Da mesma forma, de quase todos os planos há participações e discutem planos, procedimentos e tarefas.

Cada procedimento exige atenção, mas o foco é mostrar quais são as responsabilidades que são distribuídas pelos membros dessa equipe. Portanto, a participação é útil e a seguir confira um exemplo desse uso:

  • O time de trabalho de home care recebe elogios pelo profissionalismo, zelo e cuidado para com os pacientes;
  • Em seguida, o líder democrático chama todos e parabeniza pelo feito, deixando claro que a equipe é responsável pelo resultado;
  • Se for necessário passar novas tarefas ou não, a liderança compartilha as informações e chama a participação de todos;
  • A opinião de cada membro da equipe é ouvida e a meta é possibilitar que todos se sintam uteis para a organização.

Para que os resultados possam acontecer, o mais importante é treinar os colaboradores para contribuir adequadamente. Entre os tipos de liderança para gestão hospitalar, este é considerado o intermediário dessa lista.

A grande vantagem desse estilo é o engajamento da equipe, porque é o grande responsável por fazer as coisas acontecerem. Igualmente, todos contribuem com a opinião e o rendimento tende a ser mais elevado.

Lembre-se: um dos atributos da liderança é saber ouvir as pessoas, e, sobretudo, considerar quando a opinião é útil. Em outras palavras, o líder democrático não “manda”, influencia e ganha a equipe também pelo exemplo.

Liderança liberal ou Laissez faire

Primeiramente, esse tipo de liderança é bastante útil para uma situação em específico: quando o time está treinado e sabe o que fazer. No entanto, o próprio nome indica do que se trata e é referente a ser mais liberal.

Uma característica comum é a passividade, porque as decisões são evitadas e a ideia principal é não ser responsável. Juntamente com esse fato, os liderados é que respondem por cada atitude que tomaram naquele momento.

Ser ausente também é comum, ou seja, é mais indicado para times em que a confiança já reina. Ainda mais atualmente, é preciso entender se serve bem para o negócio ou não, já existem riscos dentro desse tipo de utilização.

Imagine uma casa de longa permanência e em um time de trabalho que atua junto há vários anos. Assim, existe pouca rotatividade de pessoal e abaixo confira um exemplo sobre como esse estilo de liderança pode ser utilizado:

  • É decidido pelo time de trabalho que uma nova tarefa será realizada pelos colaboradores que tiverem mais familiaridade com trabalho;
  • O líder é informado sobre essas medidas e apenas confirma, pois, como citado acima, ele prefere não participar do processo de escolha.

Por fim, fica claro que ser um líder liberal pode ser a melhor opção e depende muito do time de trabalho. Do mesmo modo, pense nos tipos de liderança para gestão hospitalar mostrados aqui e use de acordo com o caso.