Chamamos de Medicina Integrativa as técnicas que visam oferecer maior qualidade de vida a pacientes, garantindo abordagens terapêuticas eficazes. Essas técnicas auxiliam no processo de cura de doenças, com foco no bem-estar.

O papel da medicina integrativa é aliar diversas terapias complementares, colocando o paciente como ponto central. Esse trabalho tem influência direta com os aspectos físicos, emocionais, sociais e espirituais.

No caso de idosos institucionalizados, as terapias integrativas são importantíssimas e contribuem para a melhoria na rotina dos residentes. 

Neste artigo você vai entender o que são e para que servem as técnicas de Medicina Integrativa e quais seus benefícios para os idosos.

Medicina integrativa: base e princípios 

Antes de saber quais são as práticas mais comuns em Medicina Integrativa, vamos entender quais são os principais fundamentos que norteiam essa modalidade terapêutica. Assim, é possível entender as estratégias utilizadas para auxiliar nas mais diversas necessidades.

#1 – Esse é um trabalho feito em conjunto, em que médico e paciente são parceiros e atuam de forma integral para chegar a bons resultados;

#2 – Tudo o que interfere na saúde e no bem-estar é levado em consideração, sejam os aspectos físicos ou emocionais;

#3 – A melhor abordagem é discutida com o médico, baseando-se na medicina convencional e entendendo quais terapias alternativas podem ser indicadas para cada caso;

#4 – Quanto mais naturais e menos invasivas forem as intervenções, melhor. Elas devem fazer parte do protocolo terapêutico sempre que possível;

#5 – Há um senso crítico estabelecido entre a Medicina Convencional e a Medicina Integrativa. Uma não rejeita a outra e nada é aceito indiscriminadamente;

#6 – Todos os procedimentos têm embasamento científico.

Práticas da Medicina Integrativa

Como já dissemos, na modalidade de Medicina Integrativa, existem várias técnicas e práticas que proporcionam uma melhor qualidade de vida no dia a dia e ajudam no tratamento de doenças.

Essas práticas são benéficas não só para idosos, mas para todas as pessoas que necessitam retomar ou preservar a saúde de forma integral. 

Veja algumas das principais práticas da medicina integrativa:

Musicoterapia

Todos sabemos que a música é capaz de trazer alegria e bem-estar para os ambientes, não é mesmo? Na Medicina Integrativa, as intervenções sonoras são utilizadas para tratar o estresse, a depressão, dores crônicas e até problemas de memória.  

Aromaterapia 

O cuidado através do cheiro. A aromaterapia utiliza óleos essenciais e suas propriedades para restaurar o equilíbrio e a harmonia do corpo.

Arteterapia

Ao utilizar diferentes modalidades artísticas, essa terapia alternativa proporciona bem-estar por meio da expressão e dos sentimentos que a arte transmite, seja pela pintura, fotografia, artes cênicas, dança ou literatura.

Meditação

Essencial para treinar a atenção, melhorando o sistema cognitivo, evitando transtornos de ansiedade e cuidando da mente como um todo.

Yoga

Geralmente associada à prática de meditação, a yoga busca um equilíbrio entre o corpo e a mente. A prática, porém, ainda pode auxiliar no controle do estresse, ansiedade, dores no corpo e na coluna. 

Acupuntura

Esta é uma terapia holística, que não foca em sintomas isolados. A acupuntura considera dores e doenças, físicas ou mentais, como um sinal de desequilíbrio do corpo e busca aparar essas arestas.

Ao aplicar agulhas muito finas na pele e em determinados pontos do corpo, a acupuntura se mostra eficaz no alívio dos sintomas de depressão e ansiedade, distúrbios do sono, doenças gastrointestinais, enxaqueca, entre outros. 

Medicina Integrativa e seus benefícios para os idosos

Quando falamos no cuidado com idosos, a medicina integrativa se torna uma importante aliada. Normalmente, as práticas envolvem intervenções no estilo de vida dessas pessoas, a fim de tratar os problemas de saúde física e mental.

Algumas abordagens terapêuticas relacionadas aos idosos servem como apoio para doenças crônicas ou graves, problemas cardíacos, respiratórios ou síndromes demenciais. Essas práticas são importantes pois garantem que a mente e as emoções dos idosos também ganhem atenção, e não só o tratamento da doença em si.

Além disso, os tratamentos integrativos ajudam a prevenir outras doenças, mantendo a qualidade de vida em um nível adequado. Essas práticas são uma ferramenta essencial, inclusive, para expandir o relacionamento dos idosos com a sociedade como um todo.

Medicina Integrativa na prática

As terapias alternativas são opções diferenciadas para o tratamento de doenças, mas também exigem uma aptidão maior dos profissionais envolvidos, que precisam saber ouvir as queixas e construir soluções junto com os pacientes. A proposta é criar um ambiente agradável, com resultados palpáveis. 

Ao considerar a incorporação de uma prática integrativa no tratamento, é importante levar em conta aspectos como:

  • Trabalhar com profissionais habilitados para o exercício da Medicina Integrativa;
  • Buscar terapias que façam sentido e despertem mais interesse;
  • Acreditar na prática escolhida;
  • Manter o tratamento pela medicina convencional e apenas ampliar as formas de cuidado.

A prática de outras terapias visa a criação de hábitos mais saudáveis, prezando o autocuidado e construindo um quadro de saúde mais forte, com qualidade de vida.

A Medicina Integrativa surge, por fim, para auxiliar no trabalho de cura da Medicina Convencional, onde o paciente não mais recebe o tratamento passivamente, mas participa ativamente da própria saúde.

O IW Senior Care é capaz de auxiliar a instituição a manter uma agenda de terapias e atividades bem organizada. Além de oferecer aos profissionais multidisciplinares um aplicativo, o IW Mobile, que permite registrar cada cuidado no prontuário do idoso, promovendo a colaboração mútua e a certeza de um cuidado integral.

Fale com nossos especialistas!