fbpx

Quando, à primeira vista, pensa nas 7 dicas práticas para profissionalizar as casas de longa permanência logo é frequente ter dúvidas. Sendo assim, é primordial saber que o processo passa diretamente por uma gestão eficaz.

Gerir uma casa de longa permanência é um misto de três “tipos de negócios”: casa, clínica médica e negócio. Prestar atenção nesses três pontos é relevante e por isso que a melhor opção é ter atenção nesses recursos.

É chegada a hora e o momento de entender como que profissionalizar as casas de longa permanência pode ser feito. A proposta é simples: passar sete dicas que o gestor tenha condição de aproveitar essas oportunidades. 

Afinal, quais são as 7 dicas práticas para profissionalizar as casas de longa permanência logo?

Certamente que profissionalizar as casas de longa permanência é a meta e o principal é entender como chegar à profissionalização. Sendo assim, confira abaixo as sete dicas para que a gestão consiga esse objetivo.

1- Pense no cuidado com as pessoas, antes de qualquer outra medida

Em primeiro lugar, para profissionalizar as casas de longa permanência é preciso pensar no cuidado com as pessoas. Da mesma forma, a ideia é que todos os colaboradores saibam que a ideia é cuidar de todos os moradores.

Com o tempo, muitos profissionais podem perder parte da sensibilidade, ou seja, não enxergar mais as pessoas como seres humanos. Contudo, é preciso ressaltar para todos os colaboradores que eles lidam com vidas essenciais.

Se há esse cuidado, a chance de que o ambiente melhore é maior e você sabe: quando isso acontece, dá prazer em trabalhar e em gerir o negócio. Essa cultura é primordial para que o gestor consiga disseminar essa cultura.

2- Utilize a tecnologia a seu favor e em prol do negócio

Primeiramente, a tecnologia a seu favor deve favorecer o trabalho, pois no século XXI não dá para ficar de fora disso. Ao mesmo tempo, a gestão deve saber de uma coisa: quanto mais tecnológico for, melhor para a gestão.

Profissionalizar as casas de longa permanência passa diretamente por utilizar ferramentas eficientes. Além disso, a gestão deve ser voltada para a tecnologia e em todo um processo que traga descentralização para todos.

Os colaboradores devem participar desse processo e acreditar em cada mudança que está sendo imposta pela gestão. Em seguida, é mais simples de aproveitar todas as oportunidades que o mercado oferece para as pessoas.

3- Integre todas as equipes de trabalho da casa de longa permanência

A integração de todas as equipes é fundamental e acredite: se todos caminham para o mesmo lado, a equipe rende mais. Portanto, é preciso que o ato de profissionalizar as casas de longa permanência passe por isso.

O processo de integração depende diretamente de um ponto: desenvolver a cultura organizacional voltada para o trabalho em equipe. Do mesmo modo, todos sabem o que fazer e entendem que o gestor está “no mesmo barco”.

Na hora de integrar todas essas equipes, lembre-se: a gestão deve participar e precisa ouvir o feedback dos colaboradores. Por consequência disso, a melhor opção é entender que todos fazem parte do mesmo time de trabalho.

4- Use um software que permita gerir com facilidade

Fazer uma lista para profissionalizar as casas de longa permanência e não citar essa seria um grande erro. Afinal, um gestor deve saber que tem a integração de todas as equipes de trabalho e é preciso pensar nisso.

Um bom software é eficiente e tem a proposta de possibilitar que todos consigam ter a condição de gerir com facilidade. Em suma: se o software for um ERP, a chance de ter tudo ali é maior e otimiza bastante o trabalho.

Por exemplo: é possível ter um controle de despesas, receitas e um histórico de cada paciente que passou pelo local. A ideia é simples: permitir que todas as partes consigam acessar facilmente as informações desse negócio.

5- Trabalhe a gestão psicológica de todos os envolvidos dentro da casa de longa permanência

As pessoas desenvolvem relação, ou seja, os moradores gostam da equipe de trabalho e o outro lado também acontece. Entretanto, se há uma perda de uma das partes, a tendência é gerar um sentimento que pode ser perigoso.

Os colaboradores devem ter assistência psicológica e não precisa ser uma sessão, pois pode haver uma roda de conversa, por exemplo. Para os moradores da casa de longa permanência, o tratamento pode ser individual.

Se todas as partes tiverem a gestão psicológica, a chance de profissionalizar as casas de longa permanência é maior. Assim, é preciso pensar nisso e investir, porque o gestor tem o papel de melhorar.

6- Tenha um processo de contratação e retenção de talentos eficiente

O trabalho em casas de longa permanência, como você sabe, não é dos mais simples e lida com pessoas. Dependendo da saúde física e mental de cada paciente, pode demandar da equipe de trabalho muita paciência.

A dica é prestar atenção no processo de contratação e visa profissionais que tenham perfil adequado ao tipo de trabalho. Ou seja, que gostem de trabalhar com pessoas e possuam as credenciais que apenas a gestão sabe quais são.

O processo de profissionalizar as casas de longa permanência depende muito de reter os talentos. Em outras palavras, se os colaboradores são incentivados a inovar e tem essa cultura, a chance de render mais é maior.

7- Higiene, conforto e amor: a modernização depende desse tripé

Por fim, é necessário que a modernização passe por três pilares essenciais: 1) Higiene; 2) Conforto; 3) Amor. Limpeza, acessibilidade e cuidado com todos os envolvidos é primordial para que a casa seja acolhedora.

Quando as pessoas pensam em casas de longa permanência, é frequente pensar em locais de condições precárias. No entanto, atualmente é preciso superar esse cenário e a melhor opção é investir nos pilares citados acima.

Para profissionalizar as casas de longa permanência, como mostrado no texto, é preciso seguir as dicas mostradas. Daí para frente é simples e basta aplicar, pois a tendência natural é que você aproveite as oportunidades.